Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Maio, 2009

As verdades doem, mas...

já não é dos carecas que elas gostam mais!

Quem me dera

Quem me dera que eles tivessem só metade desta doçura... e vá...metade da arrogância que têm!

Dilemas

Polémica: a professora esteve mal, é um facto! Mas e quantas vezes os alunos são mal educados e nós não podemos pôr os pais em tribunal? Não a estou a defender, como é óbvio. Até acho que se a senhora é assim tão superior ao comum dos mortais poderia ter dignificado de forma positiva a docência. Mas depois, como é habitual não aparece nas notícias.
Não culpo os alunos, mas vê-se cada coisa! Temos que aturar cada um! A culpa não é deles, em grande parte são os pais que há muito se despediram desse mérito que é ser educador. Eu sei que a vida não é fácil, que temos pouco tempo, que o dinheiro é curto para a criatura andar a repetir anos sem fim... epa, mas formar não é educar e não aceito que um pai ou mãe me diga que é essa a minha função quando nada fazem quando podem e depois é tarde. Ele é faltas justificadas quando o aluno não lhe apeteceu levantar cedo, denegrir a figura docente e não verificando a veracidade das informações dadas em casa... sim, porque pais na escola são uma espéc…

SNS

Ontem:
- Centro de Saúde.
- Boa tarde. Sou professora e preciso de um atestado de robustez para entregar na escola, como devo solicitá-lo?
- Tem cá médico de família?
- Não.
- Então tem de o pedir ao médico de família.
- Vai ser complicado, o meu médico de família está nos Açores.
- Ah...
- Normalmente, obtenho sempre o atestado no Centro de Saúde local.
- Pois, pode ser que a directora lho passe, só falando com ela. Venha cá amanhã à hora de almoço.
- Muito obrigado, assim farei.

Hoje à hora de almoço:
- Boa tarde. Liguei ontem por causa de um atestado de robustez. Sou professora e preciso desse documento para entregar na escola.
Liga à colega que está a par do caso.
- Primeiro e último nome.
- T.F.
- Vou falar com a directora. Aguarde um momento por favor.
Passado um momento.
- Desculpe, mas a doutora diz que não pode passar o atestado, só indo ao serviço privado.
- Desculpe, mas em todos os centros de saúde pelos quais passei sempre me forneceram esse documento. Não compreendo que não o façam aqui e …

ATAAC-curso sobrevivencia urbana parte 2

Este vídeo é um treino para a realidade. Apesar dos protagonistas serem brasileiros, a nossa realidade está de forma inquietante a aproximar-se do retratado. Sempre defendi que deveriamos aprender a defender-nos através do treino das artes marciais e afins, mas sem armas, pois essa, quero acreditar está na nossa razão e no que conseguimos fazer com ela.
O bairro da Bela Vista não é único, mas é atroz o desrespeito que se rflecte na autoridade. Se em parte acredito que esta autoridade permitiu ou teve que permitir esta falta de reconhecimento, por outro penso que aquilo em que se tornou a fábrica da nossa educação e o individualismo crescente e o facilitismo da nossa justiça em muito contribuiu para este género de acontecimentos.
Assistimos na televisão e pensamos que é uma realidade diferente e que sortudos nós somos por estarmos longe... não é assim... o mal que criamos um dia bater-nos-á à porta. Nós somos culpados desta podridão. E agora especulam as mentes que por sermos civilixado…

Interrogações

Porque é que os professores têm uma tendência para acumular papéis em poucos dias? Porque é que se criam novas oportunidade, se gasta dinheiro e não se ensina coisa nenhuma? Porque é que os pais das criancinhas maiores de idade investem em algo que os filhos não querem e não usam? Espero que o ensino obrigatório até ao décimo segundo não torne as restantes criaturas assim, será que conseguimos? Porque é que há tantas perguntas com respostas mais ou menos fáceis, mas muito polémicas, sobretudo no quotidiano de "brandos costumes", e ninguém lhes quer responder?



Obrigado pelas vossas respostas mentais.

Voltei a ser colocada

Agora estou aqui. Sabem onde estou?

Cólera já matou mais de 3600 pessoas

A última coisa queo Zimbabué precisava aconteceu no Verão de 2008. Uma epidemia de cólera que já provocou mais de 3600 mortes (estimando-se que já tenha afectado mais de 75.000 pessoas e provocado 3 milhões de refugiados) e que rapidamente se tornou num dos mais graves problemas do Zimbabué. Mas a verdade é que, infelizmente, não é o único. Como é recorrente na maioria do países africanos daquela zona, a amplitude do impacto da malnutrição, malária e de VIH/Sida, são, também elas, situações graves e que potenciam e agravam o drama humano entretanto causado pela cólera.
O contexto em que este país africano se encontra mergulhado não é, de facto, nada animador. Dos cerca de 14 milhões de habitantes do país, cerca de um terço são alimentados pelo Programa Alimentar Mundial. Por outro lado, a estrutura pública de saúde não apresenta, de momento, capacidade para fazer face a este problema, com a degradação das condições de trabalho dos profissionais de saúde, problemas graves de rupturas de…