Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Junho, 2007

Ma fille

Provavelmente estavam à espera que eu escrevesse uma crónica em que falasse de livros, ou que enaltecesse o prazer da leitura, mas confesso que hoje me sinto terrivelmente preguiçoso para o fazer. A culpa é do meu imaginário demasiado absorvido pelos territórios do amor. Há dias em acordamos assim...
Quarteira está admirável, nesta manhã de sol. Fixo o mar ao som de um cd de Serge Reggiani, com canções que falam de amor, e recordo, com alguma nostalgia, os espectáculos que esta grande figura da canção francesa realizou entre nós. Realmente, a sua arte de cantar e de dizer transportam-nos para os territórios da magia.
Cultivando a inteligência e o rigor, Regianni, neste albúm que acabei de ouvir, interpreta com uma singular expressividade Appolinaire, Boudelaire, Verlaine, Rimbaud, Boris Vian, Jacques Prévert e Aragon.

Luis Machado in Os Meus Livros

Continuação do meu postal de aniversário

T:

É devido a amizades como a tua, que me dá vontade de correr o mundo, desbravar florestas, arrasar inimigos!!
Força! Vou buscá-la muitas vezes às tuas atitudes, por vezes devastadoras, mas sem dúvida úteis! Como se costuma dizer, encontram-se os amigos em maus momentos, ou quando nos abrem os olhos, e tu abres-me muitas vezes os olhos!! Por isto e mais coisas, vai aqui um abraço do tamanho do mundo e um obrigado gigantesco!!

"O Sol brilha, o teu olhar é iluminado pela vida que vibra dentro de ti, o sofrimento é um mero patamar que deve ser escalado, e aí encontras o Sol na sua plenitude!"

Muitas felicidades são os votos de uma amiga que te adora e que por mais longe que esteja, nunca te esquecerá!!

E palavras para quê!! Acho que diz tudo o que sinto por ti. Gosto muito de ti.
Não basta desejar-te o melhor, pois sei que o melhor não te chega, mereces muito mais!!

A Felicidade vai ser sem dúvida alguma o teu caminho!

Beijos. L. S.


É sem dúvida uma pessoa que nunca esquecerei apesar d…

No dia do meu aniversário por uma amiga da faculdade:

No dia do teu aniversário

É muito fácil admirar alguém como tu...
É muito fácil gostar de ti...

É muito fácil ultrapassar as dificuldades e os maus momentos quando se partilha uma amizade como a tua.

Que este dia se repita por muitos e longos anos.

Muitos Parabéns


- Ai, as saudades do tempo de estudante...e das amizades descobertas!

Roubo

Roubo cirúrgico, feito por um "gang" especializado na Alemanha. O grupo roubava peças de carros das próprias fábricas da Mercedes e da BMW, onde estavam empregados os seus membros, para depois as revender. O esquema foi desmontado após uma investigação de seis meses e levou a três detenções.

in ùnica


Se forem trazendo uma peça de cada vez eu não me imorto de depois montar o puzzle.

MORTE DE PMs - DESPERDICIO DE DINHEIRO - BRASIL

Potestade oculta e indecisa de valores ausentes, mundo trocado de facilidades ocultas economicistas e de desespero de pobreza variante e estranha. Raros poderes ocultos, estranha forma de gerir o que tão sacrificadamente juntamos, reunimos. De que lado queres ficar? A quem te queres ligar? Há um velho ditado: "Se não os consegues vencer, junta-te a eles." É justo? Para quem? Porquê?

O Senhor Ventura - Miguel Torga

"Com o Pereira desempregado e sem saber outra coisa senão alquimia de panelas, o Senhor Ventura deitou contas à vida. Os tempos iam ruins, era preciso não deixar morrer à fome o companheiro, estalara a guerra na Mongólia Exterior, o peito já lhe pedia outro ar que não fosse o de Pequim... Portanto...
Ora, precisamente, a Ford vendera duzentos camiões ao governo chinês, com a condição de a casa oa entrgar na frente de batalha, e montar postos de abastecimento no deserto de Gabi. Logo..."

in O Senhor Ventura de Miguel Torga

Um excerto de um livro que acabei de ler, com muito gosto! Gostei mais da Criação do Mundo, mas não deixa de ser o Torga que me transporta para os dizeres do meu avô e me faz sentir saudades de realidades que não vivi. Pinta, vive, insere-nos no meio do que apenas julgamos ver de fora. O seu vocabulário muito típico faz-me sorrir, a fidelidade com que reproduz realidades banais faz-me olhar mais atentamente... sem dúvida um grande contador de histórias que con…

Winter Sports Bloopers

Este Junho que estamos a viver não nos deixa largar a lapita.
Porque será que em pleno Junho só consigo pensar que estou a caminhar para o Inverno?!?
O mundo anda todo ao contrário! - Constatação tardia, mas sentida.

Editorial Presença (parte3)

Uma das apostas tem sido na Ficção Científica (FC) e Literatura Fantástica (FL). Isso está relacionado com o que estamos a falar?

De certo modo, porque são construções culturais, concepções do mundo que, por vezes, alteram os cânones da cultura, aos quais, por vezes, nos vinculamos demasiado. São áreas da literatura em que é possível fazer coisas muito boas, reagindo a um certo preconceito de que só o Realismo diz a verdade.


E é nesse quadro que surge a publicação da saga do Harry Potter?

Nós tivemos sempre a ideia de que a literatura infantil-juvenil foi, durante muito tempo, dominada por uma certa visão muito pedagógica, preocupada em inserir os jovens leitores na Realidade. E, sendo assim, era uma literatura muito orientada para a Vida. O leitor jovem entrava na aventura e ao mesmo tempo era uma forma de conhecer a realidade e afeiçoar os seus comportamentos ao mundo. Mas, uma tradição anterior, que remonta aos irmãos Grimm, lidou com o fantástico e com todo um universo de personagens…

Aphrodite's Child - It's Five O Clock - Editorial Presença (parte2)

Que diferenças e semelhanças encontra, relativamente ao catálogo actual?

São muito grandes. Numa primeira parte dominou o teatro e a ensaística, a ficção veio muito mais tarde. Houve uma fase em que éramos uma editora eminentemente orientada para o ensaio, em diferentes colecções e com diferentes autores. A entrada na ficção dá-se no início dos anos 80, essencialmente, porque as editoras também evoluem numa relação entre os editores e o seu meio cultural. As mudanças que se vão verificando na programação editorial são mudanças que estão também relacionadas com a ligação entre o editor e a sua realidade cultural.


Hoje têm um catálogo extremamente variado. Há algum género que gostasse de apostar mais fortemente?

Dificilmente poderei falar numa preferência por géneros, iria mais por temáticas. Estamos numa época de grandes mudanças, como a emergência de países que vão ter um papel importante no mundo. Pode dizer-se que é previsível uma mudança no xadrez político. Estamos também a assistir a…

Editorial Presença (parte 1)

Como é que foi parar ao mundo dos livros?

Desde muito cedo que penso em livros, cheguei a estar envolvido num projecto de tradução com um colega de arquitectura. Eu era um leitor inveterado e foi através de um contacto com um livreiro, o António Barata, de quem era cliente. A certa altura, falei-lhe no meu interesse em fazer uma editora. Ele tinha tido uma editora (embora com outras características) e disse-me: se pensar nisso, eu vou consigo. E assim nasceu a Editorial Presença (EP), nós fomos sócios.
Eu tinha necessidade desse apoio porque os meus conhecimentos relativamente à parte mais prática do negócio eram escassos. Foi uma sociedade que correu muito bem, quer do ponto de vista pessoal, quer do ponto de vista funcional. É claro que ele teve um papel muito importante ao pensarmos na rede de distribuição e outras questões, mas depois dessa fase, ele entregou-me tudo e eu passei a ser o editor em todas as vertentes, ou seja, tanto ao pensar nos projectos editoriais, como na própria …

Aretha Franklin - R E S P E C T

Rendição ao iPod da senadora nort-americana Hillary Clinton, possível candidata à Casa Branca em 2008. Hillary revelou a sua "playlist", da qual constam mil canções. "Respect" de Aretha Franklin, ou "Hey Jude", dos Beatles, estão entre as favoritas.

in Única


Agora imaginem a Senadora a curtir esta música em grande estilo!!!

Eu

Tenho uma forma um pouco estranha de ser, não faço amigos com facilidade, perco-os som alguma facilidade, porque me desligo e fecho no espaço que gosto de viver só. Não gosto de fracos, nem de vítimas declaradas, tenho dificuldade em lidar com a autoridade e sou, por vezes, demasiado exigente com os outros. Tirando grandes defeitos, não sei mostrar que gosto, prezo demasiado a minha independência, não gosto de pedir, nem que tenham pena de mim. Não tenho sentido de oportunidade e, normalmente, gosto de tudo direitinho. Sou em mim e para mim um moribundo que recusa o viático da absolvição. Vivo no meu mundo de sonhos, que conjugo facilmente com a paixão pela minha leitura. Sou estranha! Não sei fingir, nem gritar, não sei agradar... sou eu! Um Eu com quem convivo bem no meu mundo e que ama o silêncio e em silêncio e sim... também já me disseram que sou um "bicho-do-mato".

Ui!

Achei que durante a minha adolescência tinha sido diferente. Gostava de heavy netal e educava frequentemente os meus ouvidos para aqueles sons carregados de adrenalina. A minha avó que tinha de ouvir Sepultura às 7 da manhã, passava a vida a dizer que "os senhores nunca paravam de vomitar". O.K.! Digamos que não era muito simpático da parte dela ofender assim as minhas escolhas, mas querida avó, depois de ouvir estes sons tonitruantes, começo a perceber-te e sentir-me velha!

Bliss - última parte

"Para fazerem as suas escolhas os clientes podem aceder a um serviço que é a inveja de muitas outras lojas do género. Afixados a algumas das colunas dentro da loja, podemos encontrar uns ecrãs com tecnologia "screen" que permite ao utilizador fazer uma busca por título ou por autor a uma velocidade de cortar a respiração. Basta inserir a palavra que se procura e de imediato aparecem todos os títulos relacionados. Caso o cliente continue com dificuldades em encontrar aquilo que quer, existe sempre a possibilidade de fazer uma encomenda. O conceito das lojas Bliss não é exactamente novidade, mas é uma forma de vender cultura e tecnologia que vai ganhando adeptos, e ainda bem. É que assim, comprar livros é mesmo uma delícia!"

in Os Meus Livros

Mais do mesmo - Bliss

Venho retomar um post a meio sobre uma livraria

"Contudo, a verdade é que a secção que mais nos interessa tem um lugar de honra pois, apesar de se situar no fim da loja, está ao lado de um grande vidro que dá para a parte exterior do centro comercial, debeficiando por isso de maior visibilidade enquanto montra de toda a loja Bliss, e de uma quantidade invejável de luz natural.
Ao contrário do que se possa pensar, a Bliss não fica atrás das principais livrarias, em termos de oferta. O espaço dedicado aos livros é suficiente para permitir uma grande selecção e, o que é mais importante, uma variedade de secções de oferta assinaláveis e que demonstram bom planeamento e visão. Por exemplo, não é em qualquer livraria que a secção de BD está dividida entre Manga, Americana e Europeia, em que a Sociologia e a Psicologia têm espaços distintos e bem equipados e onde não se cedeu à tentação de agrupar livros de religião com os espirituais e esotéricos. Até na oferta para os mais novos houve o…

O Xangô de Baker Street - Jô Soares

Acabei de ler este livro e foi, de facto, surpreendente! Primeiro, porque não costumo gostar de policiais, segundo, porque não costumo gostar de Jô Soares. Li-o em 4 dias e ao contrário do que inicialmente se espera de um policial, fartei-me de rir.
O livro só tem personagens conhecidas: a Divina Sara, a Chiquinha Gonzaga, o Sherlock Holmes, o Watson... mas são um prato! O Mr. Holmes só deduz asneira e apaixona-se irremediávelmente por uma quase vítima. Ao contrário do que seria de esperar o Delegado Pimenta e o Mr. holmes não conseguem descobrir o assassino, mas nós sim, aliás temos o previlégio de ouvir os seus pensamentos, é dos poucos que não diverte!
Assim, não deixamos de ter um policial que se lê levemente, nada de complexo e complicado, e também uma forma de diversão com conversas inesperadas e situações caricatas. Ah! E há também muitas referências a comida, que delícia!

ZOO BARBERO - Gosto do ritmo

Mas não é disto que voz vim falar.

Descobri em www.bliss.pt.
"A Bliss é muito mais que uma livraria, mas é justo dizer que a secção dos livros serve de coroa para um espaço que foi essencialmente pensado para poder servir cultura e alta tecnologia com conforto e estilo.
Situada no moderníssimo Forum Montijo, a Bliss é a primeira de várias lojas previstas para Portugal. Resulta de uma iniciativa encabeçada pela Singer em colaboração com a Asa, responsável pela manutenção de uma secção de livraria com todas as novidades, e a Cupido, que gere a secção de café.
Fisicamente, até se podia dizer que a secção dos livros tinha sido relegada para último plano, uma vez que é a que se situa mais longe da entrada da loja. De facto, para lá chegar, é preciso atravessar primeiro as secções tecnológicas, como os computadores, as impressoras, DVD e telemóveis, e até o Bar, um espaço aberto situado bem no centro da loja, sendo que esta assume um formato circular e um design simultaneamente moderno e s…

Junho

Quando o vento anda a bailar na noite de S. João, não há Verão.

Madonna - Erotica HQ Confessions CT

As imagens do Presidente nort-americano, George Bush, sobrepostas à de Adolf Hitler, uma crucificação simbólica, numa cruz forrada de joias - não é uma celebração extravagante, toda esta iconografia faz parte da ultima digressão de Madonna, "Confessions Tour", que começou esta semana em Los Angeles (EUA). O espectáculo polémico vai manter-se "na estrada" pelos próximos dois meses em território americano, seguindo depois para a Europa no Verão.
A indumentária acompanha, mais uma vez, a exuberância dos cenários. O estilista francês Jean-Paul Gaultier assina o guarda.roupa, tal como já havia feito na "Blonde Ambition World Tour", a "tournée" de 1990, com forte conotação sexual, a marca registada de Madonna. Em "Confessions Tour" a cantora veste três peças diferentes para outros tantos blocos no espectáculo. No primeiro, traja como na época do "Disco", na segunda à amazona e, na terceira, mais arrojada, usa uma camisola transpare…

Srª Morte

Confesso, este é bem capaz de ser um post um pouco mórbido, mas começa a fazer-me confusão a fixação da morte nos outros. Ele há pessoas que passam a vida a pensar em como vai ser, como querem o caixão, como querem ir vestidas, como vai ser a lápide... e para quê tanto luxo para o sitio escuro, frio e finito. O féretro tem que ser assim, com lençois assado....

"Rosas brancas/ Se não as tive na vida/ Para que as quero na morte?"

É mais ou menos o que eu penso. Quero lá saber como vou, preocupo-me mais quando vou, que eu gosto muito de cá andar!! Podem por-me de costas ou de barriga, em pé ou deitada... é pá! Conversa da treta! Qualquer dia ainda fazem uma colecção Primaver/ Verão e Outono/ Inverno para a ocasião e para cada féretro, cada oferta divertida e inovadora. Ora! Conversa da treta!! Esta gaita não anda boa, mas já podiam poupar e pensar para outra coisa. Cum catano!